fbpx

Fluxo de caixa: dicas para garantir o sucesso

 em Vendas

O que você verá neste artigo: 

As dicas para a gestão do fluxo de caixa na sua empresa 

Uma das maiores dificuldades de todo empreendedor enfrenta é manter a gestão do fluxo de caixa.

Mas, por qual motivo essa seria umas das maiores dificuldades enfrentadas pelo brasileiro? Será que é por falta de planejamento? Falta de organização? Falta de precisão quando se trata de números? Ou simplesmente se acostumou do jeito que estão funcionando as coisas na empresa? 

São muitas perguntas que devem ser levantadas antes de partir para a gestão do fluxo de caixa. Saber gerenciar é fundamental para o crescimento da sua instituição. 

Quando você tem em mente o que quer, como quer e como faz para chegar lá, tudo se torna mais fácil.

Com o fluxo de caixa não é diferente, você precisa controlar quanto precisa entrar, quanto sai todo mês, quanto você deseja investir e quanto será a sua margem de lucro, isso é o básico que um empresário deve saber. 

No seu ponto de vista o seu negócio está caminhando bem, suas vendas subiram mais que o de costume, todo mês tinha dinheiro entrando e saindo do seu caixa.

No entanto, até que um dia você se levanta para trabalhar e se depara com um grande problema. A bomba explodiu, não tem mais dinheiro no caixa da sua empresa. 

O que fazer nessa situação? Você tem que pagar seus fornecedores, suas contas, seus colaboradores e os impostos que são cobrados. 

A taxa de mortalidade das empresas brasileiras, principalmente, as micro e pequenas empresas é muito alto. É muito difícil uma empresa conseguir sobreviver após os seus dois anos iniciais. 

Uma das causas pode ser o não acompanhamento do fluxo de caixa. Ele auxilia para acompanhar a situação financeira do seu negócio.

O gestor que consegue acompanhar diariamente seu fluxo de caixa, possivelmente, ao acender o sinal vermelho ele conseguirá maior agilidade para contornar a situação. 

Ao decorrer desse artigo você aprenderá dicas para a gestão do fluxo de caixa na sua empresa.

Vamos levantar os principais pontos em que você deverá focar para manter sua estabilidade financeira empresarial. 

O que é fluxo de caixa? 

Antes de chegarmos nas dicas é importante esclarecer o que é fluxo de caixa,

Por definição é a movimentação, ou seja, entradas e saídas de dinheiro no caixa da empresa, através do controle eficiente dessas movimentações você melhora a saúde financeira da sua empresa.

Agora que já alinhamos o que significa, veja as dicas que te ajudarão nessa gestão. 

Dicas para ter sucesso com seu Fluxo de Caixa

Prever o futuro 

Uma boa dica para a seu negócio é prever quando o dinheiro vai acabar, sendo assim, você terá tempo para criar estratégias.

Isso só será possível com o planejamento. O planejamento financeiro é um dos pilares de sustentação para o seu negócio. 

Sabe as grandes organizações? Posso citar como exemplo Coca-Cola, Unilever, Ambev, Hyundai e Nubank.

Todas elas tiveram e têm um planejamento financeiro, ambas pensam no seu fluxo de caixa e no futuro da entidade. Porque não fazer o mesmo com sua instituição? 

Fazer anotações seguras sobre todo o histórico do seu fluxo de caixa é essencial para fazer comparações no futuro. O ideal é manter o equilíbrio do caixa. 

Reveja o que você gastou através de extratos bancários, recibos e notas fiscais.

Além disso, pense o que você pode ter feito de errado e corrija. O bom empresário é aquele que consegue aprender com os seus erros e transformá-los em sucesso. 

Seja realista na projeção do fluxo de caixa 

A regra é muito simples: só pode sair aquilo que entrou. 

Por tanto, é preciso fazer um controle rigoroso das entradas e saídas e observar que possuem dinâmicas diferentes. Ao se fazer a provisão das entradas, se atente aos fatores que podem não ser previsível, como a inadimplência dos seus clientes. 

As saídas já são previsíveis, pois, você sabe que algumas contas devem ser pagas todos os meses, como impostos, aluguéis, salários e fornecedores. 

Isso fornecerá segurança na hora de cobrar daqueles que têm mais chances de pagar. Construa um processo de cobrança estabelecendo regras que facilitem os pagamentos, nos casos mais extremos, recorra aos procedimentos judiciais. 

Não tenha medo de negociar 

Uma das saídas mais procuradas pelos empresários no momento do aperto é esgotar todas as suas alternativas que podem ir desde de pedir empréstimos ou até antecipar recebíveis. 

O que muitos empresários não percebem é que podem, e devem, usar uma estratégia mais fácil e com menos riscos, a negociação. Dessa forma, o empreendedor deve sentar com seus parceiros e fornecedores e botar as cartas na mesa. 

O que importa é a sua capacidade de honrar com seus compromissos, por isso, não tenha vergonha de negociar prazos para pagamento. Isso pode ajudar até a fortalecer as relações entres vocês. 

Quando você dá esse passo, tenha em mente que uma das atitudes que estará conquistando é de ser corajoso. Por mais que a sinceridade esteja cada vez menor nos dias atuais, as pessoas ainda valorizam a honestidade. Você não está dizendo que não irá pagar, você tem a pretensão de pagar. Só está pedindo um prazo maior. 

Priorize os pagamentos com mais riscos 

Se você tiver muitas contas a pagar e pouco dinheiro disponível é preciso estabelecer prioridades. Por isso, se o pagamento for atrasar tente priorizar aquele que oferece maior risco ao funcionamento normal da empresa. Se você o adiar pode ser que vire uma tempestade financeira na sua empresa. 

Não se desespere: nem sempre a melhor solução é aquela que você acredita que seja! 

Em alguns casos pode parecer que a raiz do problema está nas vendas baixas e a solução que você encontra é aumentar as vendas. Nem sempre essa é a decisão mais acertada. Por tanto, tente vender menos. 

A explicação se dá através do capital de giro. Quando as vendas sobem, consequentemente, a demanda de capital de giro aumenta. A saída pode ser diminuir a clientela, principalmente, aqueles que possuem risco alto de inadimplência ou até fazer fechamento de novos contratos. 

Organizando as contas internas 

Já que você deve frear suas vendas e o fechamento de novos contratos e hora de olhar para dentro da sua empresa e começar a enxugar os gastos. Isso pode representar desde do corte ou mudanças de benefícios dos funcionários até a troca de fornecedores. 

Você pode estruturar em duas formas: os gastos que custam ou que não custam. Se você pensa em reduzir o quadro de funcionários, já adianto que não é a solução. Demissões geram custos e as vezes custos altos, por isso, pense em alternativas como negociações de preço com fornecedores e até os prazos para pagamento. Na dúvida, negocie! 

Quando se trata de gestão do fluxo de caixa tenha sempre em mente que uma ou duas dicas não fará todo o progresso sozinho, mas, quando há um conjunto delas unidas de certa forma caminharão para o rumo correto. 

O fluxo de caixa no regime de competência 

Já vimos o que é o fluxo de caixa. Devemos agora entender o que é o regime de competência. 

O regime de competência é indicado para aqueles que precisam de maior facilidade para observar os resultados da empresa, da situação financeira e patrimonial. 

No regime de competência as despesas e receitas são contabilizadas no momento em que ocorreram, mesmo que, o pagamento ainda não tenha sido realizado. Ou seja, no fluxo de caixa levará em consideração a data do acontecimento e não a entrada do dinheiro no caixa. 

Observe o exemplo: Se a empresa realiza uma venda de R$ 10.000,00 com pagamento em 5x de R$2.000,00. O registro contábil será registro no momento em que ocorreu a venda no valor total de R$ 10.000,00. 

Fluxo de caixa Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Venda R$10.000,00 – – – – 

O fluxo de caixa no regime de caixa 

O fluxo de caixa no regime é indicado para aquele que necessita de uma visão mais realista e cotidiana da situação financeira do seu negócio. 

Diferente do regime de competência, o regime de caixa leva em consideração o momento em que houve entrada e saída de dinheiro no caixa, não considerando a data do acontecimento. 

Pega o mesmo exemplo anterior, temos: Se uma empresa realiza a venda de R$ 10.000,00 com pagamento em 5x de R$ 2.000,00. O registro contábil será no momento das parcelas, ou seja, será lançando no fluxo de caixa na data em que ocorre os pagamentos de R$ 1.000,00. 

Fluxo de caixa Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Venda R$2.000,00 R$2.000,00 R$2.000,00 R$2.000,00 R$2.000,00 

Então, qual dos dois devo escolher? 

Ambos. Os dois regimes possuem visões diferentes e, por isso, devem ser usadas como complementares. Por tanto, o uso dos dois regimes ajuda no planejamento financeiro a curto e longo prazo. 

Mesmo que o regime de competência seja obrigatório, em alguns casos, isso não é impedimento para que se faça o uso de outros relatórios financeiros. 

Compartilhar
Postagens Recentes

Receba nossas atualizações por e-mail